SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Banco do Brasil eleva juros do financiamento imobiliário

O Banco do Brasil irá elevar, a partir de 18 de maio, as taxas de juros dos financiamentos imobiliários, que passarão de 9,9% ao ano mais a taxa referencial para 10,4%. Segundo a assessoria de imprensa do banco, a elevação será implementada “em função dos maiores custos de captação”.

Em nota, o BB informou que “promoveu recentemente uma série de aprimoramentos e adaptações nas linhas de Crédito Imobiliário SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), tais como a ampliação do prazo de financiamento, manutenção do percentual de financiamento sobre o valor do imóvel, maior flexibilização na aplicação das taxas de juros conforme o nível de relacionamento do cliente com o Banco, bem como, em determinadas situações, maior poder de escolha por parte do cliente acerca da melhor fórmula de cálculo da taxa de juros para cada caso (adoção de múltiplas metodologias: SAC ou Price)”.

O prazo máximo de financiamento foi elevado de 360 para até 420 meses, dependendo do perfil de renda do cliente, segundo o banco. “Sobre o percentual do valor de avaliação do imóvel que pode ser financiado, ficou mantido 80% para todos os clientes (na metodologia mais utilizada no mercado que é a SAC)”.

Mudança acontece na esteira da Caixa

Na segunda-feira (4), começou a valer a mudança da Caixa Econômica Federal que restringe o financiamento de imóveis usados. Pela nova regra, os financiamentos com recursos da poupança (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) terão uma redução do limite do valor total financiado de 80% para 50% do valor do imóvel no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 70% para 40% para imóveis no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), pelo Sistema de Amortização Constante (SAC).

Com as mudanças, quem comprar um imóvel usado pelo SFH terá que dar uma entrada de no mínimo 50% e financiar a outra metade. Antes, a entrada mínima era de 20%. No caso do SFI, o valor mínimo da entrada passará a ser de 60%, para o consumidor financiar os outros 40%.

Fonte: G1

Deixe um comentário