SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Audiências sobre a GM

Sindicato dos Metalúrgicos quer envolver a sociedade no debate

Para tentar envolver a sociedade na luta pela manutenção dos postos de trabalho na unidade da General Motors em São José dos Campos, o Sindicato dos Metalúrgicos da cidade busca apoio para realização de audiências públicas.

Neste sábado (7), os sindicalistas realizam uma panfletagem na Praça Afonso Pena, no centro, com detalhes da campanha contra as demissões.

No Senado, a realização da  audiência pública vem sendo capitaneada pelo senador Eduardo Suplicy (PT/SP), em conjunto com a central sindical Conlutas, que controla o sindicato de São José desde 2006.

Cortes/ A categoria também negocia com vereadores a convocação de uma audiência pública na Câmara de São José.“Queremos envolver a sociedade nessa discussão. Assim, poderemos sensibilizar a GM e também o governo”, afirmou o presidente do sindicato, Antonio Ferreira Barros, o ‘Macapá’.

No mês passado, 356 pessoas deixaram a fábrica por meio do PDV (Programa de Demissão Voluntária) implantado em dia 5 de junho e encerrado no último dia 2. Trabalhadores começaram na semana passada a procurar o sindicato para homologar sua saída da fábrica.

Desde o início do ano, quando o temor pelo fechamento da linha conhecida como MVA se agravou, o sindicato tem buscado apoio da prefeitura para forçar a GM a reverter o quadro de demissões. Após duas reuniões, a entidade pede postura mais incisiva do Executivo sobre o assunto. Na última terça-feira, um encontro entre prefeitura e sindicato foi cancelado.

Demissões/ Segundo os metalúrgicos, representantes do governo disseram que se reuniriam na mesma hora com direção da GM, informação negada pela assessoria do Paço.

Desde então, nenhum outro encontro foi agendado entre as partes. A intenção do sindicato é realizar até fim do mês encontro entre GM, sindicato, prefeitura e governos estadual e federal.

Os metalúrgicos decidiram intensificar as ações em busca da manutenção dos postos de trabalho depois da confirmação do fim da produção dos modelos Meriva e Zafira.

Desde meados do mês passado, a linha opera em apenas um turno. A eliminação total do setor poderia significar a demissão de cerca de 1.500 trabalhadores –a fábrica tem pouco mais de 7.000. Uma comitiva irá a Brasília cobrar providências do governo federal. Em assembleia, os trabalhadores aprovaram paralisações na entrada dos turnos.
 
Reunião é antecipada para quinta-feira

A reunião entre Ministério do Trabalho, General Motors e Sindicato dos Metalúrgicos foi antecipada para a próxima quinta-feira. O encontro estava programado inicialmente para o próximo dia 17.

Com argumento de que manutenção dos postos de trabalho nas montadoras seria contrapartida para lançamento do pacote de benefícios do governo para reaquecer venda de carros, sindicato quer que ministério interfira na situação.

A GM, no entanto, diz que o acordo que tem com o governo não diferencia suas unidades no país. Desta forma, se a GM demitisse 5 funcionários em São José e admitisse 10 em São Caetano do Sul, estaria respeitando o acordo com o governo. Outro encontro entre GM e sindicato está marcado para o fim do mês.

Fonte: Bom Dia Sorocaba (SP)

Deixe um comentário