SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Após rebaixar Brasil, S&P corta notas de 17 instituições financeiras do país

Depois de reduzir a nota de crédito do Brasil, a agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu os ratings em escala global de 17 instituições financeiras do país. Também foram revistas para baixo as notas em escala nacional de 27 instituições.

Onze bancos tiveram suas notas em escala global reduzidas e mantidas as perspectivas negativas: Caixa Econômica Federal, BNDES, Safra, Bradesco, Citibank, Itaú Unibanco Holding, Itaú Unibanco, Santander, Banco do Nordeste do Brasil, Banco do Brasil e Banco ABC Brasil. Outros seis bancos foram rebaixados e colocados em revisão para novo corte: BTG Pactual, Votorantim, Banrisul, Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais, HSBC Bank Brasil e Banco Daycoval.

Rebaixamento do Brasil
A S&P rebaixou, na quinta-feira, a nota de crédito soberano do Brasil, mais de cinco meses após o país perder o selo de bom pagador pela agência. O rating, que é usado como referência para os investidores estrangeiros aplicarem recursos no Brasil, foi cortado em um nível, passando de BB+ para BB, com perspectiva negativa.

A agência justificou sua decisão alegando que o perfil do crédito do Brasil se debilitou desde setembro do ano passado, enquanto os desafios políticos e econômicos seguem sendo “consideráveis”.

Em nota, a S&P afirma que “raramente” dá a instituições financeiras notas acima do rating soberano do país, porque, os bancos são afetados por muitos dos mesmos fatores econômicos que provocam estresse nas contas do país.

“À exceção da BM&FBovespa, nenhuma das instituições do setor financeiros às quais atualmente damos notas (…) passam nosso teste para ter rating acima do soberano”, diz a agência.

Notas em escala nacional
Já o rebaixamento em escala nacional atingiu a Caixa Econômica, BNDES, BNDESPar, Safra, Bradesco, Bradesco Capitalização, Citibank, Itaú Unibanco Holding, Itaú Unibanco, BTG Pactual, Banco Toyota, BNP Paribas Brasil, Banco Volkswagen, Banco de Tokyo Mitsubishi, Banco Morgan Stanley, Santander, Bonsucesso Consignado, Banco do Nordeste do Brasil, Ativos S.A. Securitizadora de Créditos Financeiros, Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais, Banco Votorantim, Votorantim Finanças, BV Leasing Arrendamento Mercantil, Banco ABC Brasil, Banrisul, Daycoval e Banco do Estado do Pará.

Fonte: G1

Deixe um comentário